Junho é época de comidas típicas, e a semente da araucária, o pinhão, tem um sabor que agrada o paladar de muita gente. O que talvez você não saiba, é que mais do que gostoso, o pinhão é bom para a saúde dos idosos, pois possui vários nutrientes benéficos para o organismo. Com propriedades antioxidantes, ele ajuda a prevenir o envelhecimento e, com isso, os riscos de eventuais problemas de saúde em idosos são reduzidos.

O pinhão possui ainda fósforo, cálcio, zinco e magnésio (este último, combate os sintomas da fadiga). Não podemos esquecer do ferro, que previne anemias, e do cobre, que ajuda na absorção do ferro. O potássio é o mineral que predomina na semente, por isso o pinhão é um aliado contra a hipertensão arterial. Rico em fibras, a semente também ajuda no funcionamento do intestino. Além disso, o pinhão contribui com a saúde do coração, pois é fonte de gorduras monoinsaturadas, que atuam no controle do colesterol, diminuindo assim riscos de ataque cardíaco.

Algo interessante sobre o pinhão é que, ao contrário de outros alimentos, quando cozido ele não perde propriedades, ganha. Desse modo, durante o cozimento alguns nutrientes da casca passam para a semente, o que eleva o seu índice de antioxidantes.

Como se não bastasse todos esses benefícios, o pinhão ajuda no processo de emagrecimento – caso seja ingerido de forma moderada, já que é rico em gorduras. A semente possui ácido piloneico, um inibidor eficaz de apetite e que ajuda a dar saciedade. Veja aqui 10 receitas que você pode fazer com a semente.

Se você quer aproveitar tudo de bom que o pinhão tem a oferecer, a hora é agora. Para saber qual a dieta mais indicada para você, não esqueça de procurar uma nutricionista de sua confiança. Até o próximo post!