Com o passar dos anos é preciso prestar atenção em mudanças que fazem parte do processo fisiológico de envelhecimento, como a mudança de paladar na terceira idade. O processo ocorre por conta de uma redução dos receptores específicos para as percepções gustativas, o que acaba fazendo com que os idosos percam o apetite, e consequentemente se alimentem menos, ou passem a buscar alimentos mais doces ou mais salgados, na tentativa de compensar a perda do paladar. Com isso, os idosos ficam mais propensos a doenças cardiovasculares e diabetes, por exemplo.

Só para se ter uma ideia, um jovem possui cerca de 250 terminações nervosas em cada papila gustativa (aquelas bolinhas localizadas na superfície da língua). Acima dos 75 anos de idade, esse número cai para menos de 100. Na terceira idade a necessidade calórica dos idosos diminui; por outro lado, a demanda por alguns nutrientes aumenta. Nesse contexto, a boa alimentação é crucial e os idosos podem manter o apetite em alta estando de olhos nos seguintes aspectos:

– É preciso manter a comida atraente. Aposte nas cores, na variedade e no aroma. Pratos mais coloridos e balanceados têm maior aceitação.

– Fique atento a problemas dentários e próteses mal adaptadas. Isso fará com que o idoso tenha dificuldade de engolir e mastigar, fazendo com que a rotina de alimentação seja desconfortável e desestimulante. Consequentemente, o idoso perde o prazer de se alimentar.

– O uso de medicamentos também pode alterar o paladar, por isso, só faça uso deles com acompanhamento médico.

– No lugar de colocar mais sal na comida, opte por acrescentar temperos naturais como alho, cebola, cheiro verde, orégano e manjericão, que realçam o sabor dos alimentos e não prejudicam a saúde.

E não esqueça: quando o assunto é alimentação, é fundamental a orientação de uma nutricionista. Até o próximo post!