Resultado da diminuição da produção de estrogênio e progesterona pelos ovários, a menopausa é um processo biológico do qual é praticamente impossível fugir. Além disso, causa temores a uma boa parte da população feminina. A boa notícia é que é relativamente simples amenizar os impactos e sintomas. A expressão-chave é alimentação equilibrada que, somada à prática regular de exercícios físicos ajuda a passar por essa fase sem tantos problemas.

Entre as modificações que ocorrem no organismo está o aumento de peso, com mudanças no formato do corpo, sobretudo com maior acúmulo de gordura na região abdominal. Outros sintomas clássicos são as famosas ondas de calor, além do enfraquecimento das unhas, dos cabelos e ressecamento da pele. A região íntima também sofre com isso, por conta de uma diminuição da lubrificação.

Alimentação equilibrada não apenas na menopausa, chave da boa saúde desde sempre

Com os avanços da idade, a atenção ao que se coloca no prato deve ser redobrada. Mesmo porque, o aumento de peso pode tanto complicar problemas já existentes, como a obesidade, diabetes e hipertensão arterial ou levar a quem não tinha a apresentá-los.

É importante consultar um nutricionista para avaliar o estado nutricional e verificar a necessidade de suplementação de aminoácidos, minerais ou qualquer outro nutriente que seja necessário.

Menopausa: atividade física é complemento da vida saudável

Assim como em toda a vida, exercícios devem também marcar presença sobretudo nesta fase. Caminhada, corrida e musculação leves, hidroginástica e outras modalidades esportivas são grandes aliadas para diminuir os sintomas da menopausa.

Além disso, ajudam a manter longe as oscilações do ponteiro da balança, muito comuns nesta época e também ajuda a combater e a controlar a osteoporose. Desta forma, quanto mais precoce a detecção, mais fácil o controle com suplementação de cálcio e vitamina D, se necessário.

Atenção à saúde mental

As flutuações hormonais, as mudanças do corpo e a cobrança por parte da sociedade, da mídia e da família pela “juventude perdida”, também podem causar ansiedade, irritabilidade, nervosismo, estresse e depressão. Estes, em geral, funcionam como gatilhos que levam a dietas restritivas e “da moda” que podem desencadear problemas de saúde, como compulsão alimentar, reganho de peso até anorexia.

Cuidados com a alimentação e exercícios regulares trazem um aumento da autoestima e uma melhor aceitação das mudanças corporais. Ao passar a gostar mais de si e a respeitar seus limites, nada é capaz de abalar a confiança da nova mulher que começa a surgir durante e depois da menopausa.

Leave a Reply