Produzidos com água e ingredientes como arroz, nozes, amêndoas e soja, os leites vegetais são não-lácteos e apresentam inúmeras vantagens e benefícios:
• Alto teor de vitaminas do complexo B essenciais para muitas atividades metabólicas;
• Ideais para quem tem problemas de digestão ou sofre de prisão de ventre e síndrome do intestino irritável;
• Baixo teor de gorduras;
• Alta porcentagem de gorduras mono e poliinsaturadas, benéficas para o coração;
• E o que é melhor de tudo: não contém nem lactose e nem colesterol, considerados os vilões quando o assunto é leite de origem animal.

Confira os principais leites e seus benefícios para a saúde

Leite de amêndoas
É um dos mais nutritivos e considerado uma excelente opção para crianças em fase de crescimento, pessoas com pouca energia e que precisam de complemento alimentar.
• Digestivo;
• Traz benefícios para o cérebro e os músculos por seu alto teor de potássio;
• Excelente para pessoas anêmicas, fracas, com problemas hepáticos ou desnutridas;
• Previne a osteoporose;
• Ajuda no combate ao mau colesterol (LDL);
• Possui alto teor de fibras, o que ajuda no trânsito intestinal diminuindo o risco de câncer de cólon e melhorando a prisão de ventre;
• Possui alto teor de magnésio, cálcio, ferro e vitamina E.

Leite de aveia
Excelente para quem deseja eliminar o excesso de peso.
• O alto teor de fibras fortalece o sistema digestivo e oferece sensação de saciedade;
• Diminui o mau colesterol (LDL) e combate o excesso de glicose no sangue, sendo ideal para diabéticos;
• Rico em carboidratos complexos de baixo índice glicêmico;
• Possui ácidos graxos essenciais, como o linoleico, antioxidantes e vitamina E.

Leite de nozes
Muito leite de nozes é muito indicado para casos de diarreia e, segundo pesquisas americanas, é uma das bebidas com maior índice de antioxidantes, sendo mais eficaz que alimentos como a laranja, espinafre, cenoura e tomate.

• Previne doenças cardiovasculares, assim como a diabetes;
• Possui vitamina E, ácidos graxos ômegas 3 e 6, polifenóis e oligoelementos, como selênio, cobre, zinco e magnésio.

Leite de arroz
É feito a partir dos grãos do arroz frescos, moídos, cozidos e fermentados e é uma bebida leve doce, que não contém glúten.
• É de fácil digestão e tem função relaxante já que possui alto teor de triptofano e vitaminas do grupo B que oferecem energia e equilíbrio ao sistema nervoso;
• Possui propriedades depurativas e hipotensoras;
• Ideal também para controlar o peso, já que tem menos calorias que o leite de soja e o de amêndoas, sendo muito mais nutritivo.

Leite de soja
Deixei este por último por ser o mais famoso e consumido entre os leites vegetais. É consumido desde a China antiga, onde a soja se originou. Confira mais informações sobre a soja em um outro post do blog.
• Excelente para os alérgicos à lactose;
• É facilmente digerido;
• Excelente para diabéticos já que promove a liberação de seus açúcares pouco a pouco;
• Contribui para a diminuição do mau colesterol (LDL) por conta de seu alto teor de isoflavonas, ácidos graxos e proteínas;
• Por conta das isoflavonas, é muito remendado para mulheres, pois ajuda a controlar os sintomas da menopausa;
• Tem alto teor de cálcio;
• Melhora a circulação e a cicatrização;
• Possui alta concentração de potássio e magnésio, ideais para o controle da hipertensão arterial.

Confira a receita de leite de amêndoas

Ingredientes
1 xícara de amêndoas sem sal e cruas. Esta receita também vale para nozes ou castanhas do Pará.
2 a 4 xícaras de água filtrada. A proporção varia conforme a consistência do leite que se quer obter.

Preparo
Deixe as amêndoas, nozes ou castanhas de molho em água de um dia para outro. Em seguida, descarte a água do molho e leve-as ao liquidificador. Bata com a quantidade de água desejada e coe em peneira fina ou pano fino e limpo.
Não descarte o conteúdo da peneira ou do pano. Este pode servir para fazer farinha. Basta levar ao forno baixo em uma forma para secar a água. Mexa de vez em quando para não queimar.

Procure o leite que mais agrada ao seu paladar. Não se esqueça que, em caso de dúvidas, consulte um médico ou seu nutricionista de confiança. Até o próximo post!