Muita gente já ouviu falar que os talos, as cascas e as sementes dos alimentos possuem alto valor nutricional. Temos uma diversidade enorme de opções para enriquecer as refeições, mas muitas pessoas acabam jogando fora aquilo que não consideram a parte nobre dos alimentos. Por isso, o tema que quero compartilhar com você é o aproveitamento integral dos alimentos na terceira idade, uma ótima maneira de enriquecer a dieta e evitar o desperdício de importantes fontes de energia.

Semente de abóbora; folha de couve flor e beterraba; cascas de frutas como laranja, melão, maçã, banana e abacaxi; talos de brócolis, couve, agrião… Esses são apenas alguns exemplos de alimentos que geralmente descartamos, mas que podem virar receitas deliciosas e nutritivas, cheias de fibras, vitaminas e minerais. Com isso, a terceira idade ganha benefícios, como o fortalecimento das defesas do organismo e intestino regulado, e sem gastar mais por isso.

As folhas da couve-flor, por exemplo, contêm quatro vezes mais vitamina C do que a laranja e podem virar uma saborosa sopa. O brócolis, por sua vez, tem mais cálcio que os laticínios e seu talos, após cozidos, podem ser um dos ingredientes de uma apetitosa farofa. E a semente da melancia, que torrada vira tira gosto? O mesmo vale para sementes de abóbora e melão. É só deixar secar em temperatura ambiente, depois torrar e temperar. A casca da banana, por exemplo, possui mais potássio do que a própria fruta e pode ser usada em bolos e farofas, para citar apenas duas alternativas.

É importante lembrar que os alimentos precisam ser bem higienizados, principalmente se não forem orgânicos (o ideal é que sejam, já que as cascas acumulam mais agrotóxicos). Nesse caso, use uma escovinha e lave os vegetais embaixo d´água para retirar o excesso de pesticidas. Depois coloque de molho em uma solução de hipoclorito de sódio ou água sanitária (1 colher para 1 litro de água). Também é possível usar vinagre (2 colheres para 1 litro de água) ou bicarbonato de sódio (1 colher de chá para 1 litro de água).

Veja aqui algumas receitas para aproveitar os nutrientes dos alimentos

Conheça iniciativas contra o desperdício de alimentos

Felizmente a percepção do reaproveitamento de alimentos é cada vez maior e iniciativas como a do Banco de Alimentos são um grande exemplo sobre o combate ao desperdício, um dos grandes problemas mundiais. Trata-se de uma associação civil de SP que distribui os alimentos excedentes da comercialização e produção na cidade entre 40 instituições cadastradas no projeto (alimentos que seriam descartados, mas que ainda estão perfeitos para o consumo). Com isso, o Banco de Alimentos possibilita que todos os meses mais de 22 mil pessoas tenham uma alimentação saudável e equilibrada.

Outra iniciativa é a Gastromotiva, um local que começou em SP, se espalhou por outras cidades brasileiras e funciona como um restaurante-escola, onde chefs convidados e jovens talentos cozinham com ingredientes excedentes e servem jantares gratuitos para população vulnerável. Mais recentemente o local passou também a servir almoços para o público em geral, com o conceito “pague o almoço e deixe o jantar”.

Chefs de vários restaurantes renomados, como Alex Atala, também já se conscientizaram sobre o problema do desperdício e passaram a oferecer pratos que levam ingredientes pouco comuns. O consumo integral (ou quase) dos alimentos é bom para todos: para quem se alimenta e ingere mais nutrientes, e para o planeta, pois o reaproveitamento diminui o impacto no meio ambiente. Desperdiçando menos, a produção não precisa ser tão grande, a ponto de suprir o que vai para o lixo todos os dias.

Até o próximo post!