NutriçãoSaúde

Diabetes na Terceira Idade: alimentação equilibrada é uma das chaves da boa saúde

By julho 31, 2017 No Comments

Manter uma alimentação equilibrada e atividade física recorrente é algo que deve estar presente em todas as épocas da vida. No entanto, a partir dos 60 anos, a atenção com a saúde deve ser redobrada. Um dos problemas mais sérios e que traz inúmeras implicações quando não tratado é o diabetes; doença crônica que, segundo dados do Ministério da Saúde, atinge no Brasil 14 milhões de pessoas entre 20 e 70 anos. Cerca de 50% desse total é formado por indivíduos da Terceira Idade. Mas, a boa notícia é que, em muitos casos, o controle da alimentação e exercícios físicos são suficientes para um controle eficiente.
Por que o diabetes atinge este número tão elevado de idosos? A resposta está em uma somatória de fatores. Quando mais novas, as pessoas tendem a ser mais ativas e, com a chegada da aposentadoria – que ocorre por volta dos 55 anos – é muito comum que haja uma parada nas atividades, inclusive nos exercícios físicos. A equação aumento da ingestão de alimentos + sedentarismo resulta, na maioria das vezes, em obesidade. E com o aumento de peso, vem também uma elevação nos níveis de colesterol, triglicérides e, claro, o diabetes.

Tipos de diabetes e suas complicações na Terceira Idade

O diabetes possui duas classificações: tipo I e tipo II. Geralmente diagnosticado ainda na infância, o tipo I é aquele em que o pâncreas tem dificuldades de produzir a insulina, que é o hormônio responsável por levar a glicose para dentro das células.
Já o II acomete mais os adultos, principalmente aqueles que estão acima do peso. Este tipo é resultado não apenas da diminuição de produção de insulina pelo pâncreas, mas sobretudo pela resistência das células à ação da insulina. Desta forma, em ambos os casos ocorre a hiperglicemia, que é o excesso de glicose na corrente sanguínea.
A hiperglicemia decorrente do não tratamento do diabetes pode levar o paciente a ter problemas como hipertensão arterial, cardiopatias, aumento da gordura visceral, perda da visão, da memória entre outros fatores.

Exercício físico e alimentação equilibrada na Terceira Idade

Dependendo do paciente, o médico pode recomendar o uso de medicamentos e até aplicação de insulina. No entanto, a alimentação inadequada é um dos grandes vilões dessa história. A alimentação sozinha não é capaz de fazer milagres. É preciso que o paciente, na medida do possível, realize atividades físicas leves a moderadas. Os exercícios ajudam a manter os níveis de glicose controlados e evitam o ganho de peso. Também recomenda-se o aumento do consumo de água. Além disso, deve-se fazer acompanhamento médico e nutricional com regularidade porque estes profissionais complementam o trabalho um do outro  e farão um controle rigoroso da doença. Somando-se estes fatores, o resultado da equação será a boa saúde.