Em outubro e novembro mulheres e homens, respectivamente, foram lembrados da importância de se prevenirem contra o câncer de mama e de próstata. Todos os anos milhões de pessoas são diagnosticadas com algum tipo de câncer, mas estudiosos já sabem que a alimentação é uma aliada na prevenção da doença. Nada mais natural, portanto, do que falar um pouco mais sobre câncer e alimentação. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca) uma alimentação saudável (com poucos alimentos ultraprocessados e rica em frutas, legumes, verduras, cereais etc) pode prevenir de 3 a 4 milhões de novos casos de câncer a cada ano no mundo. Embora não exista uma dieta milagrosa, que vai garantir que alguém não tenha câncer, uma alimentação saudável, somada à prática regular de exercícios e ao esforço de manter o peso adequado permite que um em cada cinco casos dos tipos de câncer mais comuns sejam evitados, segundo o Instituto. Vale lembrar que a atividade física ajuda ainda na renovação celular e melhora o metabolismo. (Veja aqui alguns mitos e verdades sobre o assunto).

Por aqui sempre falamos dos alimentos que podem prevenir doenças. Outros, por outro lado, possuem agentes cancerígenos, motivo pelo qual devem passar longe do nosso prato. Carnes processadas como carne de sol e peixe salgado, embutidos como presunto, salsicha, salame, mortadela, comidas congeladas, macarrão e sopas instantâneas, pacotes de pães produzidos em série, refrigerantes e bebidas açucaradas, assim como doces ou salgadinhos embalados são alguns dos exemplos mais comuns. Ricos em açúcar, óleos e gorduras, esses alimentos também atuam diretamente no ganho de peso (saiba aqui se você está com o peso ideal calculando o seu índice de massa corpórea – IMC), outro fator que pode incentivar o desenvolvimento de células cancerígenas.
O comportamento alimentar de cada pessoa é, portanto, fundamental para evitar doenças graves, entre elas o câncer. O ideal é comer, com moderação, um pouco de cada grupo alimentar.

Alimentação e prevenção do câncer

O site do Inca disponibiliza um informe sobre o assunto (veja aqui). Lá, é possível verificar que uma alimentação inadequada e o modo de preparo dos alimentos são alguns dos fatores que podem desencadear câncer. Por isso, fique atento às indicações do Inca:

FRUTAS, LEGUMES E VERDURAS: Laranja, abacaxi, goiaba, melancia, uva, limão, mamão, vegetais verde-escuros, cenoura, tomate, abóbora, beterraba, berinjela,etc. Preferencialmente os orgânicos. Não são recomendados vegetais em conserva, sopas industrializadas (pacote).

CEREAIS: Arroz, aveia, pães, farinhas, macarrão. Preferencialmente integrais. Não são recomendados macarrão instantâneo; biscoitos salgadinhos e recheados.

FRUTAS OLEAGINOSAS: Castanhas de caju, do Brasil/Pará, amêndoa, macadâmia, nozes. Usar com moderação. Não são recomendados adicionados com temperos industrializados, sal ou açúcar.

LEGUMINOSAS: Feijão preto, mulato, branco e outros, lentilha, ervilha, grão de bico. Não são recomendadas carnes salgadas junto com qualquer tipo de leguminosa.

PEIXES: Peixes frescos. Não são recomendados peixes muito salgados e/ou defumados.

AVES E DERIVADOS/CARNES VERMELHA: Frango, peru, miúdos, ovo, carnes vermelhas e lombo de porco com moderação. Não são recomendadas carnes vermelhas em excesso, salgadas e defumadas. Embutidos como mortadela, linguiças, salsichas, presunto, salame, blanquete e peito de peru.

LEITE E DERIVADOS: Leite e iogurte desnatado, queijo branco, ricota, cottage. Não são recomendados queijos muito gordurosos, salgados, curados e defumados.

BEBIDAS: Água, água de coco, sucos naturais de frutas. Não são recomendados refrigerante normal ou dietético; xarope de guaraná; xarope de groselha; guaraná natural; sucos artificiais; bebidas alcoólicas.

SAL: Consumir moderadamente. Observar a quantidade de sódio no rótulo dos alimentos. Não é recomendado saleiro à mesa, assim como carnes salgadas, enlatados e conservas, alimentos industrializados e semiprontos, biscoitos tipo salgadinho e outros tipos de biscoitos.

MOLHOS E CONDIMENTOS: Molho de tomate caseiro, ervas e temperos naturais como: alho, cebola, louro, orégano, hortelã, coentro, alecrim, pimenta, cebolinha, limão, vinagre, cúrcuma. Não são recomendados temperos prontos como: caldo de carne, de frango e de legumes, shoyo, mostarda, ketchup, molho inglês, maionese.

MODO DE PREPARO: Cru, assado, no vapor, ensopado, cozido, refogado. Usar pouco óleo. Não são recomendados alimentos grelhados, na brasa, fritos, preparações com molhos gordurosos. Evitar o uso de óleo transgênico.

Se você ainda não mudou seus hábitos alimentares, procure um nutricionista e comece já. Até o próximo post!